Você acredita em vida após o amor?

13:53


Eu estou sentada na varanda de casa com as meias trocadas, vestindo um casaco quentinho e com uma xícara de chocolate quente nas mãos, olhando o temporal cair do lado de fora, mesmo tendo certeza que ele começou dentro de mim primeiro e depois se espalhou mundo afora. Em algum lugar perto de onde estou alguém toca um saxofone, um som sofrido, não porque era ruim, na verdade, era muito bom, mas a melodia parecia ser de alguém que estava na mesma condição que eu: tentando sobreviver após o amor.

Eu quis pegar meu violino para fazer companhia a quem quer que fosse, quase uma orquestra de duas pessoas que sofrem do mesmo bem, mas preferi ficar como espectadora daquela noite fria com melodia triste, buscando alento em alguma estrela que brilhasse com mais vigor me dando a esperança de dias melhores. Mas a cadência da estrela não apareceu, ou eu não a vi passar de tão distraída que estava tentando entender como a pessoa sobrevivi depois do caos.

Se existe vida após o amor? Bem, essa é uma pergunta que me faço todos os dias depois que ele se foi. Não de ir para sempre, mas de escolha própria, de vontade de não estar mais junto, de dizer adeus a uma vida inteira dedicada a alguém. Ainda não aprendi a viver livre, solta, sem alguém para me acalentar em dias como o de hoje. Eu sempre tive alguém, ele sempre foi o presente que eu queria ter no futuro, sempre fomos nós, mas depois que ele decidiu ir, ficou um eu sem metade, sem vontade, sem vida.

Não faz tanto tempo assim que ele abriu a porta e saiu sem olhar para trás, para nós, para a nossa história. Deu as costas a tudo que construímos. Bateu a porta da felicidade na minha cara causando hematomas que ainda doem. Mas tenho certeza que essa será a última noite sombria da minha vida. Amanhã eu me prometi estar melhor, prometi me vingar com um sorriso no rosto. Amanhã vou me olhar no espelho e dizer: “Eu não preciso mais de você. Eu superei tudo isso. Eu sou boa demais para você.”


Mas hoje, agora, eu preciso de você. Eu não sou tão boa em fingir, talvez eu não seja forte o suficiente para gritar isso na tua cara. A única coisa que eu queria era que você estive aqui nessa noite fria e calma escutando essa música que faz meu rosto esquentar com as lágrimas que descem. Você acredita em vida após o amor? Algo dentro de mim diz que isso é possível. Eu estou tentando descobrir. Talvez amanhã eu consiga. Mas, só por hoje, eu prefiro acreditar que a vida é o próprio amor.

  • Compartilhe:

Posts relacionados

0 comentários

Obrigada por comentar. Volte sempre.

Beijos :*